segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Comentários Infelizes II - Passou de ano?


Nosso sistema escolar, com todas os seus rituais de notas, médias, recuperações, aprovações e reprovações, é muito cruel com quem não está dentro dos padrões estabelecidos (e com aqules que já estão enquadradinhos nestes padrões também).
E o pior de tudo é que toda a sociedade incorporou este modelo e cobra das crianças os resultados. As escolas públicas, por exemplo, conseguiram livrar-se do peso da reprovação, são duramente criticadas por isto. Escola boa é aquela que dá zero, que "puxa", que é difícil, que reprova.
Mas o objetivo desta postagem não é criticar a escola, mas discutir um comentário, ou uma pergunta,muito comum e aparentemente inofensiva, que os adultos fazem para as crianças no final do ano: E aí, passou de ano?
Meu filho tem quatro anos e já escutou esta pergunta duas vezes este ano, sem ao menos saber de que se trata.
Isto me fez imaginar a pressão que as crianças mais velhas sofrem. E uma criança que não passou de ano? Imagine ter que explicar isso cada vez que lhe é perguntado (e imaginem a expressão no rosto de quem perguntou ao receber a resposta).
Penso que repetir de ano nem seja o problema, em certas situações repetir de ano pode ser extremamente positivo, o problema está em se pensar que repetir ou passar de ano seja a coisa mais importante da escola e da vida da criança. Isto faz da reprovação um fardo muito pesado.
Pressão semelhante passa a criança na época de se alfabetizar. Aprendeu a ler? Já sabe escrever? costumam ser as perguntas freqüentes. Nada de mais para quem aprendeu facilmente, mas esta pressão pode gerar angústia em quem está em processo de construção e mesmo ser uma barreira para a aprendizagem. Para quem está com um pouco de dificuldade neste processo, estas perguntas infelizes são sem dúvida um complicador a mais.

Aproveito a oportunidade para desejar a todos os amigos e leitores do blog um ótimo Natal e um ano novo cheio de paz, saúde, alegrias e realizações!
Para as crianças, em especial, desejo ótimas férias!!!!!
Dicas para as férias escolares, clique aqui. (postagem de julho)

5 comentários:

Aparecida Ferreira disse...

Obrigada pelos textos publicados. Eles nos orientam bastante em nosso dia-a-dia como mãe e professora.
Em reconhecimento à grandeza desse blog deixo para você um pr~emio em meu blog http://professoraaparecida.blogspot.com
Com carinho,
Aparecida

Viviane disse...

Meu sobrinho tem 10 anos, está no 5* ano e sempre morou com minha avó, há 6 meses ela faleceu e hj ele vive comigo, ele não e alfabetizado, mudei ele de escola, pois na anterior as professoras viam ele como uma criança problema, que não aprendia porque não queria, só vivia em confusão. Hj na nova escola não recebo reclamações alguma. Mais a professora dele me orientou a fazer uma declaração autorizando a repetição de ano, dizendo que ele não está preparado para ir para o Estado, sendo ele da prefeitura e ainda sem conhecimento algum com as letras. Bem ele fará novamente o mesmo ano, neste caso por tanta dificuldade que ele teve nós anos anteriores, essa minha atitude e bom para ele? O que eu posso fazer, daqui para frente, para ajuda-lo ? Obrigada deste já,Viviane.

Andrea Garcez disse...

Acho que nesse caso, Viviane,é bom para ele repetir, sim! Procure conversar na escola o que você pode fazer para tentar diminuir as lacunas que ficaram nos anos anteriores... às vezes só a escola não dá conta... Um bom professor particular e/ou um atendimento Psicopedagógico podem ser necessários.
Um abraço,
Andrea

Cesar vinicius Araujo disse...

Meu filho tem 8 anos e está no 3° ano, só que ele tem TDAH e a escola diz que ele não está preparado pra ir para o 4° ano, você acha que eu deixando ele ficar retido no 3° ano eu estou prejudicando ele?

Cesar vinicius Araujo disse...

Meu filho tem 8 anos e está no 3° ano, só que ele tem TDAH e a escola diz que ele não está preparado pra ir para o 4° ano, você acha que eu deixando ele ficar retido no 3° ano eu estou prejudicando ele?